Os médicos que atendem à rede municipal de Petrolina estiveram reunidos em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) nesta terça-feira (11/04), na sede do Instituto de Gestão Previdenciária do município (IGEPREV). O encontro foi comandado pela vice-presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Claudia Beatriz, e serviu para debater e avançar com os próximos rumos da mobilização na cidade.

A AGE contou com uma boa participação da categoria, que discutiu, entre outros temas, as condições de trabalho nas unidades de Petrolina e a regularização dos pagamentos a todos os profissionais após a lei municipal número 09/2017. “Até o momento, a gestão regularizou o salário dos médicos apenas no âmbito da atenção primária. Porém, os médicos da rede ambulatorial continuam sem receber os valores integrais no salário, havendo, com isso, redução dos proventos. Reafirmamos o compromisso de defesa de todos os médicos do município e solicitaremos à gestão uma solução para o problema identificado”, explica Claudia Beatriz.

A principal temática da AGE focou nos próximos passos da campanha salarial de 2017 – uma vez que o Sindicato não recebeu, até o momento, uma proposta de agenda permanente de mesa negocial para tratar desta campanha e de outros assuntos. Na oportunidade, os profissionais ainda relataram a insatisfação com os vínculos precarizados que existem na cidade, solicitando contratos mais formais.

Para a vice-presidente do Simepe, o momento é delicado, a categoria está tensa, com salários defasados quando comparados a outros municípios, trabalhando em unidades com estruturas físicas bastantes precárias. “A nossa luta continua e a mobilização segue crescendo. Saímos daqui com a definição de encaminhar ofício com todas as deliberações da AGE, que inclui uma solicitação de fiscalização ao Conselho Regional de Medicina, conjuntamente ao Simepe, às unidade de saúde da cidade. Estamos também apresentando uma proposta de recomposição salarial escalonada, considerando que nos últimos quatro anos não houve reajuste e esperamos, em breve, sentar com a gestão para dar continuidade ao diálogo”, ressalta.

Por fim, ao térmico do encontro, o grupo ainda acertou que a próxima AGE será no dia 27/04, quando as respostas serão avaliadas e os rumos do movimento decididos. A categoria espera que até esta data seja confirmado agendamento por parte da gestão para seguir a construção de um entendimento para as reivindicações. “Prezamos por manter um canal de diálogo e avançar na construção das propostas com o objetivo de evitar paralisações que gerem descontinuidade de assistência à população”, pontua Claudia Beatriz.