O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), através da Defensoria Médica, ingressou, na tarde desta segunda-feira, 03 de julho, no Ministério Público de Pernambuco/ Promotoria de Justiça da Comarca de Abreu e Lima, com denúncias de redução na escala de plantão de médicos pediatras, precariedade dos vínculos de trabalho, “pejotização” dos serviços de saúde pública, praticadas pelo  Hospital e Maternidade de Abreu e Lima sob a administração da atual gestão municipal.

De acordo com o advogado Diego Galdino, o Simepe recebeu denúncia de que a Secretaria de Saúde do Município determinou a redução na escala de plantão dos pediatras, diminuindo o número de profissionais de dois para um por plantão, provocando desassistência à saúde da população de Abreu e Lima, já tão carente de especialistas em pediatria.

“A escala de apenas um pediatra por plantão em um serviço de saúde como é o Hospital e Maternidade de Abreu e Lima representa inestimável risco de vida aos usuários desses serviços, pois caso esse único profissional precise se ausentar (o que acontece com frequência nas remoções de pacientes para outros hospitais), os demais pacientes ficarão vulneráveis sem a assistência do médico especialista/pediatra” pontuou o Simepe.

Some-se a isso a sobrecarga de demanda sobre esse único profissional, que passou a assumir, sozinho, a demanda antes suportada por dois médicos. Esse excesso de demanda prejudica o serviço realizado e, por isso, também coloca em risco a saúde dos pacientes daquela unidade de saúde da rede municipal.

O Sindicato dos Médicos requer a intervenção do MPPE para que o Município de Abreu e Lima reestabeleça a escala de plantão de pediatras no Hospital e Maternidade de Abreu e Lima, bem como regularize os vínculos com seus servidores/médicos, preservando os direitos da população e dos servidores públicos em geral.