O movimento de valorização do trabalho médico da rede municipal de Petrolina avançou na manhã desta quinta-feira (17/08), com a realização de mais uma assembleia geral, na sede do Instituto de Gestão Previdenciária (Igeprev), localizado na Avenida José de Sá Maniçoba, 200, área central da cidade (imediações do Hospital Universitário).

Os profissionais, sob a coordenação do diretor executivo do Simepe, Walber Steffano, discutiram uma pauta que incluiu a avaliação do movimento da categoria, as condições de trabalho, a reforma nas estruturas das unidades de saúde e a recomposição de escalas, além da interdição ética das unidades de saúde de Bebedouro e Pedrinhas, determinação em plenária geral do Cremepe em 14/08.

Durante uma hora e meia, foram avaliados os pontos deliberados na última AGE da categoria em 27/07. O diretor do Simepe, Walber Steffano, classificou como “positiva” a Assembleia,uma vez que as propostas de interesse da categoria foram amplamente debatidas. Segundo ele, os médicos vinculados à rede municipal entenderam que as deliberações foram contempladas, ou seja, desde a marcação da reunião com prefeito Miguel Coelho, a fiscalização do Cremepe, o caminho e envio da documentação para o Ministério Público Estadual (MPPE) e a campanha de Mídia. “Em verdade, estamos na reta final de fechamento da negociação deste ano. Faltam alguns detalhes para serem ajustados. Esperamos que haja sensibilização e entendimento, por parte da gestão municipal a fim de encerramos o movimento de 2017, e já iniciarmos o processo das negociações do próximo ano”, afirmou.

Por sua vez, os representantes do Simepe – Walber Steffano e José Alberto Rosa – se reuniram à tarde com o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a secretaria de Gestão Administrativa, Luiza Leão, e o procurador-Geral,Diniz Eduardo. O objetivo principal foi ajustar às reivindicações pendentes da categoria médica. O Simepe reafirma que mantém o foco de luta em defesa dos interesses dos médicos e vai marcar uma nova AGE, nos próximos dias para repassar informes das negociações com os gestores municipais.