A vice-presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Claudia Beatriz, os diretores regionais da entidade, Paulo Maciel e Ana Carolina Oliveira, e o advogado da Defensoria Médica, Ricardo Santos, se reuniram na manhã da quarta-feira passada, 27/09, com os secretários municipais de Caruaru: Ana Maria Albuquerque (Saúde), Diogo Bezerra (Fazenda), Rubén Pecchio (Planejamento), além do procurador (Túlio Vilaça), e equipe técnica do município, para discutir sobre pontos da Mesa de Negociação Permanente da categoria.

No início dos trabalhos, Claudia Beatriz expressou a necessidade de dar continuidade sobre as demandas da última reunião com os gestores, sobre o reajuste salarial, composição dos proventos da Estratégia de Saúde da Família (ESF), PMAQ, realização de concurso público, melhorias das condições de trabalho, valorização da carreira médica.

Os gestores fizeram um preambulo a cerca dos atuais gastos com saúde. Informaram que em relação a reestruturação , valorização e concurso estão realizando  um levantamento da necessidade de profissionais, além de redimensionamento do quadro funcional, através da Secretaria de Saúde. Avaliam que até no prazo de 70 dias devem concluir esse diagnóstico. Assumiram o compromisso de reajuste plurianual a partir de janeiro de 2018.

Na ocasião, o Simepe questionou sobre os critérios para pagamento de férias e 13º salários dos médicos  referente ao ano de 2016, bem como os valores pagos. A Secretaria de Saúde disse que todos os servidores receberão o 1/3 de férias neste mês de setembro e que o 13º salário será pago regularmente no período adequado. Sobre a composição das verbas para pagamento do 1/3, a Fazenda destacou que será feita análise sobre a incidência na base de cálculo, legalidade dos pagamentos e distribuição dos recursos sobre as fontes pagadoras. Até dezembro deste ano o problema será solucionado. O Simepe enviará questionamento formal a prefeitura de Caruaru a cerca desta pauta , por entender que valores foram pagos a menor.

Outro ponto de tensão da negociação é a composição da remuneração dos médicos 32/40h, onde identifica-se parcelas elevadas de penduricalhos. Este será objeto de avaliação por parte das secretarias de Saúde, Fazenda e Procuradoria Municipal. O

Com relação ao Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ), a gestão reconhece que os médicos não eram contemplados e assumiu o compromisso de regulamentar a inclusão da categoria no programa, com repasses trimestrais de valores que serão variáveis de acordo com avaliações da equipe.

A categoria segue reivindicando a incorporação da gratificação de risco em plantão, conforme Lei Estadual. O Simepe apresentará, através de notificação extra-judicial a gestão, questionamento quanto aos temas pendentes e aguardará respostas do município, para posterior deliberação junto aos médicos vinculados à rede municipal de saúde.