Caos das emergências, maternidades e CAPS do Recife

Médicos do Recife não aguentam mais tanta precariedade. A categoria sofre diariamente com o grave problema de déficit nas escalas de profissionais, que estão completamente defasadas – sobrecarregando diuturnamente todos os profissionais da rede. Cansada desta situação, a categoria se reuniu em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), na quinta-feira (07/06) à noite, no auditório da Associação Médica de Pernambuco (AMPE). O encontro foi comandado pelo presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, e pelo diretor Executivo, Mario Fernando Lins. Os médicos apresentaram relatos do caos absurdo presente em toda a rede municipal de saúde. Falta estrutura mínima necessária, além de ausência de medicamentos e materiais básicos, bem como a constante insegurança que circunda todas as unidades da capital pernambucana. “É lamentável ver essa situação se perpetuar durante anos, com a constante defasagem das escalas de plantão; unidades de saúde completamente superlotadas – expondo pacientes e médicos; ou seja, um completo desrespeito com que luta por algo tão valioso, como é a vida. Não vamos deixar de reivindicar as intervenções necessárias na rede. O movimento está crescendo e não vamos desistir das melhorias necessárias”, destacou Tadeu Calheiros. Uma nova AGE para analisar as respostas e discutir os rumos do movimento está marcada para o dia 05 de julho, às 19h, na AMPE. *Mais detalhes visite nosso portal ( www.simepe.org.br).

UPA Nova Descoberta em pauta

Médicos que trabalham na Unidade de Pronto Atendimento Solano Trindade, a UPA Nova Descoberta, que é administrada pelo Hospital Maria Lucinda, se reuniram na tarde desta segunda-feira (04.06) com os diretores Executivos do Simepe, Walber Steffano e Lissandra Moura. Os profissionais vieram discutir demandas da unidade e solicitar esclarecimentos trabalhistas. Correção do PAVP “congelado” e pagamento do retroativo O Estado de Pernambuco impõe aos médicos um “congelamento” de gratificações sob a rubrica PAVP (Parcela autônoma de vantagem pessoal). Este congelamento é ilegal, e por isso você tem direito de buscar a correção e ressarcimento de valores. Assim, se você possui no seu contracheque algum valor com a sigla PAVP, então você tem direito à correção deste valor “congelado”, bem como ao pagamento dos valores retroativos até o limite de cinco anos (60 meses). A Defensoria Médica do Simepe está à sua disposição. Ligue para (81) 3322.7095 e agende uma consulta com um dos nossos advogados.

Médico, o Sindicato é você! Não há sindicato sem luta. Não há luta sem sindicato!

Recife, 10 de junho de 2018
A DIRETORIA EXECUTIVA