Conta o folcdore futebolístico, que minutos antes da partida entre “Brasil x União Soviética”, na Copa do Mundo de 1958, no dia 15/06/1958, na cidade de Gotemburgo, Suécia, o nosso saudoso técnico da Seleção Brasileira, Vicente Feola, durante sua preleção disse: “A tática para este jogo é muito simples: Garrincha pega a bola no meio do campo, dribla três russos, cruza para a área e Vavá, então, cabeceia e faz o gol”.

Estava tudo certo e entendido, quando uma voz perguntou: “Já combinaram com os Russos? ”. Era o sempre bem-humorado Garrincha. Então ficou entendido que haveria sérias dificuldades para alcançar a vitória.

Porque me veio à cabeça este episódio? Explico: desde que o PT foi fundado, ainda nos idos de 1980, o único objetivo, ainda que camuflado, era destruir a nossa sociedade como a vemos e instituir uma ditadura comunista, baseada nos escritos de Lenin e Gramsci, Decálogo e Cadernos do Cárcere e na adoração ao grande deus, no caso, o demiurgo de Garanhuns.

Hoje, apoiado por juízes do Supremo Tribunal Federal e de outras instâncias inferiores, que foram nomeados pelos desgovernos do PT, e parlamentares corruptos e vendidos, estamos no limiar de uma anomia. Todos os poderes, que são garantidores da ordem, se encontram diante de uma profunda divisão, titubeante e passando para o povo uma enorme insegurança jurídica.

Vou citar apenas alguns casos: o impedimento de Dilmanta deveria ser acompanhado de uma pena complementar, a inelegibilidade por oito anos. E o que fez o Presidente do Supremo Tribunal Federal, o famigerado Ricardo Lewandowski, rasgando em público e a cores, nas redes de televisão, a constituição? Ignorou solenemente a nossa carta maior e juntamente com o presidente do Senado na ocasião, o funesto Renan Calheiros, o caudilho das Alagoas, conseguiu manter a elegibilidade de Dilmanta.

Esta celeuma que se apresenta ao Brasil, nesta campanha política, me refiro a candidatura do Luladrão, nos dividindo e levando a nação à beira de uma ruptura institucional, poderia ter sido abortada desde o início, já que era impossível a sua concretização, frente a lei da ficha limpa.

Por que então o judiciário permitiu este embate todo? Só o futuro esclarecerá. Por enquanto, vamos seguindo com um povo cada vez mais dividido entre eles e nós, sendo nós os seguidores do PT, como afirma o presidiário de Curitiba e eles, onde me insiro, os defensores da liberdade, da democracia, os patriotas.

Onde já se viu facada fazer parte de campanha política?

Para a completa tomada do poder se tornar realidade, sonho acalentado há vários anos, faltou responder a uma pergunta simples: combinaram com o povo? Precisamos mudar TODO o parlamento para modificarmos o modo de negociação espúria baseada nos favores e na propina e só há um jeito certo: o VOTO!

Vamos nos libertar desta escória, o tempo se aproxima, faltam apenas vinte e cinco dias para a vitória final.

Estejamos prontos e após a apuração, com a vitória do povo honesto e trabalhador, possamos entoar a plenos pulmões: “Já raiou a liberdade no horizonte do Brasil”.

Já ia esquecendo: vencemos o jogo contra os Russos de dois a zero com gols de Garrincha e Pelé.

Francisco das Chagas Bastos

Presidente em exercício do Sinmed RN

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed RN)