É comum o médico contribuir para o INSS como empregado (carteira assinada) e como autônomo, por exemplo, como cooperado. No entanto, nem sempre o INSS calcula a aposentadoria do médico com base em todas as contribuições previdenciárias, por deixar de considerar as contribuições vertidas como empregado, autônomo ou cooperado, o que gera uma aposentadoria abaixo da devida. Por isso, a Defensoria Médica está promovendo revisões da aposentadoria do médico, com o objetivo de adequá-la ao valor devido, inclusive, com o intuito de que o médico possa receber as diferenças dos valores que deixou de receber nos últimos anos. A Defensoria Médica está à disposição de todos os médicos que se aposentaram pelo INSS. Saiba mais pelo telefone 3322.7095.