“A reforma trabalhista é uma afronta ao trabalhador”. Esta foi uma das conclusões a que o médico do trabalho, René Mendes, chegou após organizar o Dicionário de Saúde e Segurança do Trabalhador: Conceitos – definições – história – cultura, lançado na noite de ontem (11), no Cineteatro Sindmepa.

O dicionário reúne um total de 552 autores de todo o Brasil – dentre eles, três paraenses – e 1.236 verbetes (tópicos, temas, “entradas”) com objetivo de contribuir para que haja uma mobilização em defesa da saúde e segurança dos trabalhadores. De acordo com o autor, o dicionário nasceu a serviço dos mais vulneráveis e mais suscetíveis, como um instrumento para a equidade e justiça social.

Autor de mais de 100 verbetes encontrados no dicionário, Mendes afirma que a ideia de criar esta obra nasceu da percepção de que, além dos textos de medicina, é necessário que se tenha outros olhares a respeito da saúde do trabalhador. Desta maneira, o dicionário reúne autores das mais variadas profissões, entre eles: médicos, engenheiros, químicos, sociólogos, filósofos, etc. e está sendo lançado em todos os estados onde existe pelo menos um escritor que contribuiu para a realização do dicionário.

Para Mendes, a reforma precariza o trabalho – fazendo com que o trabalhador perca os seus direitos –, facilita a terceirização e faz com que aqueles que estão empregados sintam a constante “presença” do fantasma do desemprego. Ele explica, ainda, que tal pressão sobre o trabalhador pode fazer com que ele desenvolva problemas mentais e/ou cardiovasculares com o decorrer do tempo.

Os escritores paraenses Marcelo Lima e Iracina de Jesus, do Instituto Evandro Chagas, compareceram ao evento. Eles contribuíram para a elaboração do dicionário escrevendo sobre a contaminação de mercúrio na Amazônia e explicaram que o problema acontece principalmente nas comunidades localizadas no entorno de garimpos, por conta da extração de ouro e nos rios amazônicos, através da ingestão de peixes contaminados.

O diretor de comunicação do Sindmepa, Wilson Machado, ressaltou a importância das empresas adquirirem este material, pois assim é possível trazer qualidade de vida a todos os trabalhadores.

Durante o evento, o presidente da Sociedade Paraense de Medicina do Trabalho, Benones Carvalho, realizou uma homenagem póstuma ao diretor financeiro do Sindmepa, Carlos Sinimbú, falecido no último sábado. Sinimbu, era médico do trabalho e participou da organização do evento juntamente com o presidente da sociedade.

O lançamento do dicionário é uma realização da editora Proteção e teve apoio da Sociedade Paraense de Medicina do Trabalho e do Sindicato dos Médicos do Pará.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa)