O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) vem a público para demonstrar sua satisfação com o lançamento, nesta quinta-feira (1º de agosto), pelo Governo Federal, da Carreira Médica de Estado – que será um dos pilares do programa “Médicos pelo Brasil”, focado na atenção primária e substituto da iniciativa eleitoreira “Mais Médicos”.

Os detalhes técnicos da criação do programa e da carreira médica foram apresentadas pelo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Neste novo momento, a promessa é de que não ocorra mais a incidência de vínculos precarizados de outrora, garantindo para a categoria contratos no regime CLT, com salário inicial de R$ 14 mil e podendo chegar a R$ 31 mil, além da segurança de direitos trabalhistas como: férias, décimo terceiro salário, entre outros.

Vale ressaltar que este pleito é uma luta das instituições médicas pernambucanas, onde as representações do Simepe, Conselho Regional de Medicina (Cremepe) e Associação Médica de Pernambuco (AMPE) sempre foram incentivadores, combativos e pilares de resistência e diálogo ao longo destes anos. Uma prova disso é a participação ativa no movimento nacional, capitaneado pela Federação Médica Brasileira (FMB) e Conselho Federal de Medicina (CFM).

Por fim, e mais importante, o Simepe destaca que esta conquista é um momento histórico, fruto de uma construção coletiva que nos orgulha de todos os médicos pernambucanos e brasileiros. Não há nada mais gratificante em saber que a luta incessante por um ideal de melhoria e justiça nunca será em vão. As entidades médicas de Pernambuco seguirão atentas, com o entendimento de que ajustes podem ser necessários e deverão ser cobrados – como, por exemplo, o aumento da quantidade inicial de vagas do programa (18 mil), a manutenção da obrigatoriedade do Revalida e a moratória das escolas médicas. A toda a categoria a mensagem final é de união e coesão, em um trabalho conjunto, para que novos avanços sejam alcançados.