Na tarde desta segunda-feira (30/09), o presidente da Comissão Estadual de Honorários Médicos (CEHM-PE) e do Cremepe, Mário Fernando Lins, o vice-presidente do Simepe, Walber Steffano, o presidente da Sociedade de Oftalmologia de Pernambuco, Bernardo Cavalcanti, e o advogado da Defensoria Médica, Diego Galdino, participaram de audiência com a promotora de Justiça de Defesa do Consumidor (MPPE), Liliane Fonseca e os representantes da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi).

A reunião, que aconteceu no MPPE, teve como objetivo dar sequencia a reunião da semana passada (25/09), em busca de solucionar o impasse entre a Cassi, e os serviços de oftalmologia – pessoas físicas e jurídicas. Foram colocadas em mesa de negociação algumas questões relevantes, como por exemplo: todas as consultas médicas devem preceder os exames; a sociedade de especialidade fará uma ação pedagógica no sentir de normatizar todos os exames e orientar os associados para observar a normativa, aproveitando o novo código de ética.

As entidades médicas chegaram a um acordo no valor das faturas, incluindo honorários, consultas e procedimentos médicos e todos os serviços prestados à Cassi em Pernambuco, estendida a toda rede de oftalmologia. A Cassi se comprometeu em suspender os processos de descredenciamentos em tramitação.

Para o vice-presidente do Simepe, Walkver Steffano, a união das entidades médicas foi fundamental para que se chegasse a um entendimento, com mediação do MPPE, junto à Cassi. “ As reuniões de negociações com as operadoras de planos de têm sempre momentos de discussões, tensões, que são normais. O mais importante é conseguimos finalizar mais um processo negocial que foi positivo para todos”, frisou. Os médicos oftalmologistas devem se reunir nos próximos em Assembleia a fim de avaliar e aprovar o fechamento do movimento legítimo com a operadora.