Objetivo e alvo definido. Os médicos que prestam serviço às operadoras de planos de saúde, reunidos em Assembleia Geral Extraordinária em 21/10, deliberaram por interpor Ação Civil Coletiva, para recomposição do equilíbrio econômico/financeiro, contra as seguintes operadoras de planos de saúde: Amil; Medial/Saúde Excelsior; Ideal; Santa Clara/Ops.

Os debates foram coordenados pelos presidentes do Simepe, Silvio Rodrigues e da Comissão Estadual de Honorários Médicos (CEHM), Mário Fernando Lins que contou com as participações da vice-presidente do Conselho Regional de Medicina/PE, Helena Carneiro Leão e da representante da Associação Médica de Pernambuco (AMPE), Silvia Carvalho.

Referência e ação conjunta – A Federação Nacional dos Médicos (Fenam) esteve representada com o presidente Cid Carvalhaes e o Secretário de Saúde Suplementar, Mário Bichara que reafirmaram o compromisso da entidade de apoiar decisivamente o Movimento de Dignidade Médica em Pernambuco. ” Os médicos de Pernambuco têm história de luta e são referência nacional. Lutaremos em conjunto com o Conselho Federal de Medicina e a Associação Médica Brasileira em defesa dos direitos da classe médica pernambucana”, frisou Carvalhaes

Por sua vez, os representantes das entidades médicas em nível nacional e estadual destacaram em suas declarações a posição equivocada e parcial da Agência Nacional de Saúde (ANS)) que concedeu um aumento de até 136,65% aos planos de saúde. Enquanto o reajuste aos médicos nesse período, no entanto, não chega a 10%. A CEHM calcula que, nos últimos dez anos, a inflação registrada foi de 105,36, segundo Mário Lins. “Os colegas estão indignados e exigem respeito e acima de tudo valorização profissional das operadoras de planos de saúde”, ressaltou.

Reajuste irrisório – De acordo com o presidente do Simepe, Silvio Rodrigues, o movimento é pautado pela unidade dos médicos e será responsável pelo sucesso no Estado. ” Na verdade, o reajuste aos médicos quando concedido, foi feito de forma irrisória e a maioria destes, principalmente os ligados ao grupo ABRAMGE, não reajustaram em nada os nossos honorários e ainda utilizam as extintas tabelas da AMB 90 a 96″, acentuou.

A vice-presidente do Cremepe, Helena Carneiro Leão, salientou que o momento é de mobilização e que a união das entidades médicas em Pernambuco tem sido um fator muito importante para que os médicos sintam-se protegidos em busca de seus objetivos. “Acredito que este começo é positivo para seguimos em frente ”, assinalou.

Os médicos reivindicam por reajuste do valor das consultas médicas. O valor médio pago pelos convênios é de R$ 30. O custo de uma consulta médica é de R$ 23,50. Para o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), o razoável seria R$ 54,00 por consulta. A ação coletiva, além do reajuste imediato nos valores cobrados pela consulta, irá cobrar um retroativo relativo aos últimos dez anos. A próxima Assembleia Geral da categoria médica ligada aos planos de saúde está marcada para a primeira semana do mês de dezembro.