Retomar a greve a partir das 19 horas do próximo domingo, dia 11 de fevereiro. Essa foi a deliberação, por unanimidade, dos médicos ligados à Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), ontem, dia 7/fev, em assembleia geral extraordinária realizada no sindicato da categoria (Sinmed-MG). Serão mantidos 100% dos atendimentos de urgência e emergência.

Em assembleia realizada no dia 6 de fevereiro, os médicos da Fundação Hemominas também tomaram a mesma decisão – adesão à greve até que tenham suas reivindicações atendidas.

A primeira paralisação dos médicos do Estado aconteceu no período de 21 a 27 de dezembro. De lá para cá, pouca coisa evoluiu. Sem reajustes desde 2012, a assembleia recusou a proposta de ajuda financeira da gestão, considerada muito aquém das reivindicações e também insiste na melhoria das condições de trabalho e pagamentos em dia.

O movimento vai garantir o atendimento das urgências e emergências. A assembleia deliberou ainda pela suspensão do preenchimento das AIHS (Autorizações de Internação Hospitalares) e laudos de alto custo.

No próximo dia 26 de fevereiro, às 19 horas, haverá nova assembleia geral com possibilidade de manutenção da greve caso as negociações não avancem.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG)