Médicos da prefeitura do Recife, em greve há 48 dias, farão nesta quarta-feira (7), às 9h, uma assembleia geral extraordinária, no auditório da Associação Médica de Pernambuco, para decidir os rumos do movimento.

Por conta do movimento grevista, os atendimentos nos postos do programa Estratégia Saúde da Família, consultas eletivas e serviços ambulatoriais estão suspensos. Só os atendimentos de urgência e emergência seguem mantidos nas maternidades e policlínicas.

As negociações com o prefeito Geraldo Júlio (PSB) prosseguem, porém sem avanços. Na tarde da segunda-feira (5), representantes do Simepe e grupo de médicos da PCR realizaram ato solidário na Policlínica Amaury Coutinho, no bairro da Campina do Barreto, Zona Norte no Recife.

Os profissionais conversaram com os colegas plantonistas da emergência e conheceram “in loco” as necessidades e dificuldades enfrentadas pelos profissionais no trabalho de atendimento e assistência aos pacientes.

Segundo representantes do Sindicato dos Médicos, os profissionais reivindicam melhorias na segurança das unidades de saúde e abastecimento de material necessário ao exercício da profissão. Investimentos na área de saúde mental, exames complementares, em equipamentos e medicamentos também são solicitações da categoria.

Além disso, os profissionais cobram também reajuste salarial em cumprimento da Lei de Incorporação da Gratificação de Plantão e a equiparação salarial com os médicos do Governo do Estado.

Fonte: Blog Inaldo Sampaio