Com um quorum bastante expressivo, os médicos plantonistas da UPA Olinda – Gregório Bezerra – localizada no bairro da Cidade Tabajara, se reuniram no final da tarde desta quinta-feira (16/01), na sede do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe). Os profissionais foram recebidos pelo secretário-geral, Tadeu Calheiros, o diretor executivo, Fernando Junior e o advogado Diego Galdino, da Defensoria Médica (DM).
Mais uma vez, os médicos enfatizaram as denúncias já relatadas em reuniões anteriores contra a  Fundação Professor Martiniano Fernandes (IMIP Hospitalar), que decidiu reduzir, por conta própria,o número de médicos plantonistas, apesar do grande volume de pacientes, o que vai provocar maior demora para o atendimento e piorar ainda mais o acesso da população aos serviços de urgência. Além do mais, eles acentuaram que estão sendo obrigados a se ausentarem  do plantão para realizar transferência de pacientes. O serviço não conta com um médico específico para acompanhar esse procedimento, diminuindo ainda mais o número de médicos na unidade, e trazendo graves riscos à saúde da população e ao trabalho de assistência na urgência.
Tadeu Calheiros informou que o Simepe já relatou, através de ofícios,  os problemas ao Conselho Regional de Medicina (Cremepe), à Secretaria Estadual de Saúde (SES) e ao  Ministério Público Estadual (MPPE),  em busca de soluções imediatas, a afim de evitar o caos nos atendimentos da UPA de Olinda. A categoria deliberou  por uma nova reunião na próxima quinta-feira (23/01), às 17h, na sede do Simepe e decidiu ainda intensificar a mobilização, com informações e esclarecimento junto aos pacientes e moradores das áreas circunvizinhas a unidade de saúde