O movimento dos médicos do Recife já faz parte da história da medicina brasileira. Durante 61 dias, os profissionais mantiveram a união e a força na luta por uma saúde melhor e conseguiram firmar um compromisso pactuado com a gestão municipal de ações que vão melhorar todos os pontos da pauta de reivindicações da categoria. O fim do movimento grevista foi decretado na tarde desta quarta-feira (21/11), em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), na sede do Simepe, sob coordenação do presidente da entidade, Tadeu Calheiros, e da vice-presidente, Claudia Beatriz.

Com o quórum lotado, os profissionais discutiram ponto a ponto da proposta enviada pela PCR, que reconheceu a necessidade de ações em todas as áreas pleiteadas pelo movimento. São investimentos na área de segurança, abastecimento de medicamentos e insumos, contratação de novos médicos, realização de concurso público, melhoria das estruturas das unidades de saúde e pactuação de envio da proposta de recomposição salarial no primeiro trimestre do ano que vem.

Entre as ações que constam em documento oficial, estão a ronda saúde, onde profissionais de segurança vão fiscalizar regularmente as unidades, além de câmeras de TV, contratação de novos guardas e a criação e implementação de um comitê de gerenciamento de risco de território.

Para os demais pleitos, ficou pactuado, ainda, a implantação de uma nova Central de Abastecimento com cerca de 5 mil metros quadrados, além de um trabalho contínuo de requalificação das unidades, bem como a realização de um concurso público ainda no primeiro trimestre de 2019.

Por fim, entre outras iniciativas, ficou compromissado o envio de Projeto de Lei para a Câmara de Vereadores do Recife com proposta de recomposição salarial plurianual, conforme luta do Simepe, já no trimestre inicial do próximo ano.

“Foi um movimento histórico e emocionante. Foram 60 dias de luta incessante, de reuniões, assembleias, carreata, atos públicos e um trabalho hercúleo e unido de toda a categoria. E isso nos enche de orgulho e de confiança numa saúde melhor. Não gostamos de greve, gostamos de promover saúde, de estar com as pessoas e ver o sorriso delas ao serem tratadas. Acreditamos que esse movimento sensibilizou a gestão municipal, que entendeu a relevância da pauta de reivindicações e vai trazer benefícios importantes para os pacientes e para os profissionais. Seguiremos mais fortes, vigilantes e unidos. Parabéns aos médicos do Recife por mais esta conquista”, celebra Tadeu Calheiros.

Com o fim da greve, os profissionais médicos já retornam ao trabalho nesta quinta-feira (22/11) em todas as unidades de saúde. As remarcações das consultas, segundo a PCR, serão feitas pela Diretoria Executiva de Regulação.