Há dois meses sem receber salários, os médicos e profissionais da saúde do Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri, realizaram na manhã desta quinta-feira (13) uma paralisação em protesto à situação. Cirurgias eletivas não foram realizadas, mas os serviços de urgência e emergência funcionaram normalmente.

O diretor regional do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Alexandre Laje, destacou que, caso os pagamentos não sejam normalizados, os profissionais poderão entrar em greve. “Realizamos um movimento pacífico e apenas as cirurgias eletivas foram paralisadas. Mas caso não haja uma sinalização da gestão do hospital ou do Governo do Estado que isso será resolvido, é possível que mais serviços sejam parados por um tempo maior”, ressaltou. Entre as categorias que participaram do protesto, estão enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de limpeza, maqueiros.

Ainda de acordo com o diretor, os atrasos no salário dos funcionários são frequentes. “É comum passar 30, 40 até 60 dias para pagar o salário. Todos precisam honrar seus compromissos e pagar suas contas, então isso gera uma situação de intranquilidade e insatisfação entre os profissionais”, alegou.

Outra queixa dos funcionários é a superlotação do hospital. Como não há espaço para todos os pacientes que chegam à unidade, eles são acomodados em cadeiras, poltronas e macas. “Isso não é digno para os pacientes e nem para os profissionais”, disse Alexandre, pedindo que a capacidade do local seja ampliada.

Questionada sobre a situação, a Santa Casa de Misericórdia, responsável pelo pagamento dos salários, argumentou que não tem recebido repasse do Governo do Estado.