Médicos ginecologistas e obstetras  que atendem às operadoras de Planos e Seguros privados de Assistência à Saúde reunidos em Assembleia Geral Extraordinária(AGE), na noite desta quarta-feira (22/11), na sede do Simepe, aprovaram por unanimidade, a contraproposta apresentada pela AMIL Operadora de Planos de Saúde. A contraproposta inclui manter a base de negociação pactuada em CBHPM 2016, com deflator de 20%; manter o valor do parto normal em R$ 1.800,00 hora adicional do partejamento de R$ 200,00 até o total de seis horas; o valor de cesariana em R$ 700,00 (na enfermaria) e em apartamento o dobro do pactuado; negociação com vigência de 12 meses. Deve-se registrar que oss acordos serão implantados a partir do mês de dezembro do ano em vigor, com devolução dos respectivos aditivos assinados.

O presidente da Comissão Estadual de Honorários Médicos de Pernambuco (CEHM-PE), Mário Fernando Lins, fez uma avaliação do atual cenário que envolve as relações entre profissionais médicos e  às operadoras de Planos e Seguros privados de Assistência à Saúde no País. Ele considera que a aprovação da proposta da operadora AMIL, representa uma conquista para os médicos ginecologistas e obstetras, como ocorreu com outras especialidades (otorrinos, ortopedistas, oftalmologistas, radiologistas/Imagem,  cirurgiões vasculares, entre outros). ”Estamos certos que a finalização com a AMIL dessa negociação sinaliza um passo importante, para avançarmos na relação, com a empresa em 2018 ”, ressaltou Mário Lins.