Uma equipe de médicos mexicanos conseguiu extirpar um gigantesco tumor de um menino de dois anos, em uma bem sucedida operação realizada em um hospital público, informou esta quarta-feira (27) à AFP o cirurgião Jaime Zaldívar, chefe do grupo que executou a intervenção.

O tumor pesava mais do que o paciente, segundo o médico. “O menino chegou ao hospital pesando 27 quilos, dos quais mais da metade correspondia a uma má-formação grave, muito complexa, correspondente a um tumor que tinha se espalhado para parte do tórax e do abdômen”, disse.

O menino, identificado pelo centro médico como Jesús Gabriel e originário do estado de Durango (norte), foi submetido a uma cirurgia de dez horas em 14 de junho e agora se recupera satisfatoriamente no hospital La Raza, do Instituto Mexicano de Previdência Social.

Além do cirurgião principal, participaram do procedimento outros oito médicos, inclusive especialistas em oncologia, reconstrução, pediatria e anestesista.

“Voltou a andar, embora tenha dificuldade porque estava desacostumado”, disse Zaldívar, que disse que as possibilidades de que o menor tenha uma vida normal e prolongada são muito altas.

A mãe do menino disse que a criança nasceu com a má-formação, que foi detectada durante a gravidez e que em algum momento se chegou a pensar que era impossível salvar a vida do seu filho, em vista do tamanho do tumor.

“Agora está brincando, estamos felizes e muito agradecidos”, acrescentou a mulher. O menino está em observação, mas Zaldívar calcula que em poucas semanas estará de volta à casa.

“Ainda não recuperou o equilíbrio, mas podemos dizer que agora é um menino que levará uma vida normal”, acrescentou o médico.

O doutor Zaldívar explicou que o tumor não era canceroso, mas que devido a seu comportamento expansivo estava invadindo o corpo do menino e podia comprometer órgãos vitais.

Fonte: Jornal do Commercio