Os médicos da rede municipal de saúde de São Lourenço da Mata, dispensados sem aviso prévio de suas funções desde outubro passado, por conta do fechamento do Hospital Geral Petronila Campos, voltaram a cobrar da Prefeitura Municipal os pagamentos do 13º salário de 2009, do 13º salário e férias proporcionais de 2010.

O grupo de profissionais esteve nesta quarta-feira (05/01/11), no Sindicato dos Médicos (Simepe) e foi recebido pelo vice-presidente, Mário Jorge Lobo e diretores – Mario Fernando Lins, Assuero Gomes e José Tenório – além do advogado da Defensoria Médica, Rodrigo Machado. Em conversa informal com os sindicalistas, os médicos informaram que os contratos de trabalho com a prefeitura, apesar de regidos pela CLT, não foram cumpridos nem respeitados pelo prefeito Etore Labanca e do ex-secretário de saúde, Humberto Antunes. “Não tivemos comunicação oficial da Prefeitura de São Lourenço da Mata sobre nossa dispensa. O fechamento do hospital soubemos através da imprensa” frisou um médico.

O vice-presidente do Simepe, Mário Jorge Lobo, disse que a entidade não medirá esforços para garantir os pagamentos dos direitos dos médicos afastados sumariamente de suas funções pela gestão municipal. “Vamos buscar a negociação, através do entendimento com o prefeito Etore Labanca para o pagamento dos direitos trabalhistas. Os médicos não podem ser tratados com descaso e indiferença pelos gestores municipais”, enfatizou.