Os médicos de Petrolina, na manhã desta terça-feira (25), deram um abraço simbólico na Unidade de Saúde Bebedouro – localizada na área rural da cidade. O posto encontra-se interditado há muito tempo, devido ao desabamento do teto. Com isso, profissionais e população trabalham e são atendidos, respectivamente, em condições absurdas, sem nenhum respeito por ambos.

A comunidade, juntamente com a Cooperativa dos Produtores de Bebedouro, conseguiram disponibilizar o espaço de duas salas improvisadas para que a população continue a ser atendida. A ação compõem a paralisação da categoria no município, que é realizada a partir desta terça-feira (25/07) e que segue até a próxima quinta-feira (27/07).

Foto: Michel Filipe / Simepe

Foto: Michel Filipe / Simepe

Os médicos buscam melhorias nas condições de trabalho e de abastecimento farmacêutico, concurso público e reajuste salarial, já que os salários encontram-se desfasados e a prefeitura não reajusta esses vencimento há 4 anos. Em 2017, a gestão municipal fez uma proposta muito aquém da expectativa e a categoria recusou em sua totalidade na última Assembleia, realizada no dia 11 de julho.

Nesta quarta-feira (26/07), os médicos voltam a fazer uma ação, desta vez com a campanha: “MÉDICOS DE PETROLINA DÃO O SANGUE PELA SAÚDE”. O ato visa aumentar o estoque de sangue do Hemope e ajudar a população de Petrolina. No dia 27/07, quinta-feira, será realizada uma Assembleia Geral para discutir os rumos do movimento.