Dedicada a estudar e tratar pálpebras, cílios, supercílios, vias lacrimais e órbita, a subespecialidade da oftalmologia atua desde o excesso de pele sobre os olhos até o tratamento de tumores órbito-palpebrais

As pálpebras, sobrancelhas, vias lacrimais e a órbita estão no foco dos cuidados da plástica ocular, subspecialidade da oftalmologia dedicada a tratar os anexos oculares. Ao associar estética e funcionalidade, a plástica ocular assiste as estruturas que sustentam, cercam e protegem os olhos. “A plástica ocular envolve a parte funcional e a parte estética. Quando falamos de funcionalidade, podemos elencar alguns tratamentos. Por exemplo, o tratamento da ptose palpebral, que é a pálpebra caída. Os casos de excesso de pálpebra, tanto inferior quanto superior, além dos casos de obstrução das vias lacrimais, de lacrimejamento e os traumas na região palpebral, que envolvem um amplo espectro de acometimentos e de causas. As causas dos traumas são as mais variadas, desde uma mordida de cachorro até um acidente automobilístico”, explica Rubem Lima, médico oftalmologista do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE).

Restabelecer o contorno palpebral, melhorar a expressão do olhar e reparar alterações genéticas ou causadas por traumas, inflamações ou envelhecimento são os propósitos-chave da plástica ocular. O tempo de procedimento e de recuperação dependem de cada quadro clínico e de cada paciente. Estes dois últimos são avaliados desde o primeiro contato com o oftalmologista especializado em plástica ocular, que observa as necessidades e indicações individuais.

“Se você tem um serviço de grande porte, como no caso do HOPE, onde trabalhamos numa equipe multidisciplinar, muitas vezes os colegas encaminham os casos para o departamento de plástica ocular e, com isso, podemos garantir uma melhor saúde ocular para o paciente”, observa o especialista, que acolhe desde casos eletivos a situações de urgência. “O pós-operatório depende de cada procedimento. Mas, de uma maneira geral, são recuperações tranquilas. Os pacientes, a depender de como se sentirem, podem usar o computador ou celular no dia seguinte. E, no período de aproximadamente sete a dez dias, já podem voltar às suas atividades normais”, explica.

Em relação à estética, o médico analisa as queixas do paciente e recomenda as intervenções mais apropriadas. “Quando se fala estritamente em estética, a gente busca o que é belo. E a região dos olhos é muito importante no contexto da beleza, do rejuvenescimento facial”, pondera Rubem Lima. Entre os principais procedimentos estéticos viabilizados pela plástica ocular estão a blefaroplastia (cirurgia que atenua o excesso de pele na região palpebral e reduz as bolsas de gordura acumuladas ao redor dos olhos) e o reposicionamento de sobrancelhas. “Algo que vem crescendo bastante são os procedimentos minimamente invasivos, como as toxinas botulínicas, os preenchedores, os fios que estimulam o colágeno…”, ele observa. Para ele, procedimentos do gênero contribuem para o rejuvenescimento facial e reduzem a aparência cansada – ponto sobre o qual se queixam muitos pacientes na atualidade.

Fonte: Diario de Pernambuco