Não faltaram oportunidades para que a Prefeitura de Petrolina se posicionasse sobre a pauta de reivindicações da categoria médica, que vem sendo discutida e apresentada há meses. No entanto, o encontro que estava previsto para essa segunda-feira (03) foi reagendado unilateralmente pela gestão municipal, desconsiderando um compromisso firmado desde o dia 15 de maio.

Com esta ausência de respostas e descaso com o importante pleito da categoria, os médicos que atendem à rede municipal deliberaram, em Assembleia Geral Extraordinária, nesta terça-feira (04), no IGEPREV, por paralisar os serviços nos dias 10 e 11 de julho – esta última data da nova AGE. A situação já foi informada à Prefeitura por meio de ofício.

No encontro de hoje, os médicos deliberaram pela paralisação geral dos serviços da Estratégia de Saúde da Família, AMEs, além dos centros de especialidades. No dia 10 de julho, o Simepe participará da reunião junto às secretarias municipais de saúde, administração e planejamento.

Na oportunidade, a categoria ainda foi informada que serão realizadas fiscalizações nas unidades de saúde da cidade pelo Conselho Regional de Medicina (Cremepe) e pelo Sindicato dos Médicos. As datas e locais ainda não foram definidos.