Há muito tempo, o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) cobra mais segurança para as unidades de saúde do Recife (maternidades, policlínicas e nos postos de estratégia de saúde da família). A falta de medidas efetivas, por parte da Prefeitura da Cidade do Recife, faz com que a escalada de violência aumente nas unidades de saúde, provocando medo e pânico para profissionais de saúde, pacientes e acompanhantes.

Barros2

A presidente Claudia Beatriz, o vice-presidente, Walber Steffano, o secretário-geral, Tadeu Calheiros e os diretores Fernando Junior e Rodrigo Rosas (base). estiveram na tarde desta segunda-feira (17/02), com a direção da Policlínica e Maternidade Professor Barros Lima na Barros Lima, em Casa Amarela, Zona Norte do Recife. “In loco”, eles conversam com a direção da unidade sobre a invasão ocorrida, no sábado passado (15/02), quando dois homens – um deles com arma em punho – entraram na unidade de saúde e levaram pânico aos profissionais de saúde e pacientes. Durante a reunião, a gestão da maternidade afirmou que, há um número insuficiente de profissionais de segurança e disse que já foram feitas várias solicitações de ampliação do efetivo, há mais um ano, inclusive com pedido de melhorias para a iluminação externa do estacionamento (reivindicação feita pelo Sindicato  junto à Secretaria de Saúde do Recife em 2019). No entanto, o problema continua sem solução.

Barros lima 22222

Segundo denúncias, os dois meliantes invadiram a recepção do SPA da Clínica Médica, passaram pelo corredor da Emergência, saindo pelo laboratório, localizado no corredor e também a Sala Vermelha Pediátrica e os consultórios de pediatria. Durante a perseguição policial dentro do serviço, algumas pessoas amedrontadas entraram nos consultórios e o estar médicos; há relatos que foram ouvidos tiros antes de invadirem na emergência.

Mais uma vez, o Simepe reforça a necessidade de segurança, em caráter emergencial nas unidades de saúde do Recife, especialmente, neste período de Carnaval e encaminhou ofícios à Prefeitura do Recife, Polícia Militar e Secretaria de Defesa Social (SDS), para assegurar condições de trabalho e integridade física aos profissionais de saúde e pacientes.